Notícias

Recorde no Porto de Pacém

shutterstock 391915438

O início das exportações das primeiras placas de aço da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) terá impacto decisivo para o desempenho do terminal portuário neste ano; além das movimentações de cargas da CSP, o Porto do Pecém é um dos principais terminais de exportação de frutas do País, sobretudo nos meses de outubro e novembro, período de pico da safra Inaugurado em 2002, o melhor desempenho do Porto do Pecém ocorreu em 2014
Com o início das operações da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e das exportações de placas de aço, em agosto, o Porto do Pecém registrará, neste ano, sua maior movimentação de cargas desde que foi inaugurado, em 2002. A expectativa é que, até dezembro, mais de 10 milhões de toneladas em mercadorias passem pelo terminal, entre importações e exportações, um crescimento maior que 25% em relação ao total movimentado no ano passado, superando também as 8,1 milhões de toneladas registradas em 2014, a maior marca até então.

No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o Porto do Pecém já movimentou 7,1 milhões de toneladas, volume 31% maior que o obtido em igual período do ano anterior e superior ao registrado em todo o ano de 2015 (7,0 milhões de toneladas). Segundo a Cearáportos, empresa que administra o Porto, apenas em setembro, foram 1,1 milhão de toneladas movimentadas, volume 90% maior do que em igual mês de 2015.

"Em setembro, nós batemos o recorde do Porto, e isso já é um reflexo da CSP", diz Danilo Serpa, diretor-presidente da Cearáportos. "Desde dezembro de 2015, a gente vem recebendo carvão para a siderúrgica. Em fevereiro, começamos a receber o minério de ferro e, em agosto, começamos a exportar as primeiras placas para diversos países, como Itália, Marrocos e Turquia", ele diz.

Até esta sexta-feira, já partiram do Porto do Pecém sete navios com placas de aço produzidas pela CSP, em uma média de um navio por semana, volume que deve aumentar nos próximos meses, com as obras de ampliação do Porto que irão atender às demandas específicas da siderúrgica.

Acumulado do ano

De janeiro a setembro deste ano, as importações via Porto do Pecém somaram 6,0 milhões de toneladas, um crescimento de 25% em relação a igual período do ano anterior. Enquanto as exportações, com 1,1 milhão de toneladas, tiveram acréscimo de 73%. Considerando os tipos de navegação, a cabotagem foi a que apresentou maior crescimento até setembro, com 2,3 milhões de toneladas movimentadas, ante 683,6 mil toneladas no ano passado.

Mercadorias

Entre as mercadorias movimentadas no Porto do Pecém até setembro, as principais foram o carvão mineral (2,9 milhões de toneladas), minério de ferro (1,3 milhão de toneladas), gás natural (813,5 mil toneladas) e produtos siderúrgicos (511,6 mil toneladas). "Desde 2002, quando o Porto iniciou suas atividades, nós temos um crescimento anual de 29%, o que é um resultado muito bom, se comparado com o restante do País", afirma Danilo Serpa.

Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (Mdic), em setembro, o estado do Ceará exportou US$ 142,7 milhões em mercadorias, maior valor mensal desde agosto de 2014. E no acumulado do ano até setembro, o valor ficou em US$ 827,9 milhões, o que representou um crescimento de 11% na comparação com igual período de 2015.

Além das importações e exportações da CSP, o Porto do Pecém é um dos principais terminais de exportação de frutas do País, sobretudo nos meses de outubro e novembro, período de pico da safra. Segundo Danilo Serpa, em 2015, ano de queda nas exportações, o único item que registrou crescimento das emissões para o exterior foi o de contêineres refrigerados, segmento no qual o Porto do Pecém vem se consolidando, servindo de terminal de escoamento das produções dos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Bahia.

"No ano passado, mesmo diante da crise, quando todos os outros itens caíram, nós aumentamos em 51% a movimentação de contêineres refrigerados. E a expectativa é que neste ano cresça ainda mais", diz Serpa.

Outro segmento que deve alavancar as exportações do terminal é o de pedras ornamentais, em particular o granito. "Antes, as rochas do Ceará iam de caminhão para o Espírito Santo, de onde eram exportadas. Agora, eles estão sendo exportadas daqui. O primeiro lote foi enviado em agosto e estamos fazendo a segunda movimentação agora em outubro".

Fonte: Portos e Navios

Search

Mais Lido

ubm white new

   Conectando pessoas e o mercado global

 

UBM: uma das maiores empresas do mundo em mídia de negócios

Nos mais de 30 países onde realiza seus eventos, a UBM constrói relacionamentos duradouros com especialistas e players do mercado e gera oportunidades que alavancam e fomentam o desenvolvimento da indústria local em âmbito global. Ler Mais

 

Filiada à     

 ubrafe branco

Newsletter

entrada invalida
entrada invalida
entrada invalida
entrada invalida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida